Compartilhamento e sustentabilidade

Nova geração de empreendedores impulsiona modelos sustentáveis de negócios

Quando se fala em sustentabilidade, muita gente pensa simplesmente em preservação ambiental. Mas o assunto vai muito além disso. Em poucas palavras, costumo explicar o conceito como um novo jeito de pensar e de fazer negócios, com ética, integridade, transparência, respeito ao outro e à diversidade e cuidado com o meio ambiente.

A partir deste entendimento, podemos constatar que a economia colaborativa, uma tendência da atualidade, tem tudo a ver com sustentabilidade. Conhecida também por outras denominações, como consumo colaborativo e economia compartilhada, essa tendência socioeconômica consiste, basicamente, no compartilhamento.

A cultura de compartilhamento é uma característica das novas gerações, que são mais ativas nas redes sociais, por meio das quais as informações – sejam elas de nível pessoal ou não – são totalmente compartilhadas. Tudo se torna mais compartilhável a cada dia e desperta nas pessoas o sentimento de colaboração. A Wikipédia, por exemplo, é uma enciclopédia totalmente colaborativa, na qual os próprios usuários dividem conhecimentos e informações. Outro grande modelo de compartilhamento está nos aplicativos de carona que permitem que os viajantes compartilhem seus carros com pessoas até então desconhecidas e colaboram mutuamente, dividindo os custos da viagem e criando relacionamentos.

E este compartilhamento vem se desenvolvendo também na gestão de empresas e ganhando corpo, especialmente com as startups. O coworking, muito buscado por startups e jovens empreendedores, consiste em um modelo de compartilhamento do ambiente de trabalho entre vários profissionais e empresas. Além da redução de custos por meio do compartilhamento, o modelo favorece o networking, tornando-se um mecanismo muito eficiente para alavancar negócios de profissionais autônomos, empreendedores da nova geração e pequenas empresas que estejam em processo de inicialização no mercado.

Além de ser economicamente viável, devido à redução de custos e por diminuir o impacto no consumo de recursos naturais, promovendo uma economia mais eficiente e sustentável, o coworking promove oportunidades para pequenos empreendedores, permite o desenvolvimento de profissionais da comunidade e a diversidade cultural por meio da troca de vivências e experiências de diferentes pessoas e realidades. É um modelo de negócio que tem se desenvolvido com rapidez e que não pode ser subestimado. Inclusive, pode tornar-se uma grande oportunidade para investidores e empreendimentos do setor imobiliário.

Enquanto os primeiros formatos de coworking eram planejados e concebidos pelos próprios empreendedores, que buscavam no compartilhamento do ambiente de trabalho um modelo de negócio mais sustentável, hoje há prédios comerciais já desenvolvidos pelo setor imobiliário para esse fim. Muitos empreendimentos já oferecem sistemas de coworking com pacotes completos que, além do compartilhamento de espaço e de recursos como água e energia, incluem internet, telefonia, salas de reunião e até serviços de secretaria. E essa nova proposta de gestão empresarial tornou-se um modelo bastante competitivo, principalmente nas grandes capitais, onde é grande a demanda por espaço em áreas estratégicas com boa infraestrutura.

O motor desse novo mecanismo é o empreendedorismo, que urge com uma nova geração de jovens, muito mais consciente e atenta às questões socioambientais. Por isso, o modelo de coworking ganha muitos adeptos entre os jovens empreendedores e startups.

*Ricardo Voltolini – Consultor em sustentabilidade empresarial. Diretor-presidente da Ideia Sustentável: Estratégia e Inteligência em Sustentabilidade

Como ferramenta estratégica de negócios, o mercado imobiliário deve enxergar o coworking como uma oportunidade e, considerando a evolução da consciência socioambiental dos novos empreendedores, oferecer também obras cada vez mais sustentáveis, alinhadas com as tendências de sustentabilidade para a indústria da construção apontadas em estudo da consultoria Ideia Sustentável: promoção de externalidades sociais positivas na cadeia de valor; inovação em materiais e processos; projetos sistêmicos; gestão sustentável de resíduos; eficiência energética e hídrica; e desenvolvimento da cultura de sustentabilidade para os stakeholders.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 + 20 =