6º Buildings Exclusive

Evento aborda as novas características de crescimento do mercado imobiliário corporativo

No dia 27 de novembro de 2019, a Buildings promoveu o 6º Buildings Exclusive, em uma das lajes da torre corporativa do Thera Berrini que pertence à Barzel Properties, na capital paulista. O encontro recebeu mais de 200 players das mais importantes empresas do setor, que além de muito networking conferiram, com exclusividade, os dados atualizados do mercado imobiliário corporativo e as análises de desempenho e perspectivas. Além do apoio da Barzel Properties, o evento contou com o patrocínio da RealtyCorp – para o coffee break –, da Elemidia, da John Richard e da Sempre Engenharia.

Em um momento no qual a recuperação já está consolidada ­­– sobretudo no que diz respeito ao setor de escritórios das regiões nobres da cidade de São Paulo – a apresentação inicial, conduzida pelo sócio-diretor da Buildings, Fernando Didziakas, teve como foco as colaborações da empresa para o mercado. Inicialmente, Fernando anunciou a conclusão da pesquisa em Belo Horizonte (MG), com o resultado do mapeamento de 572 edifícios comerciais – sendo que 250 são corporativos – que somam 2,7 milhões de metros quadrados, em um mercado com 15% de taxa de vacância. Com isso, a Buildings passa atuar na cidade com foco na atualização e no acompanhamento, assim como acontece com as outras localidades abrangidas pela pesquisa. A nova expansão já está disponível para consulta para os clientes do CRE Tool.

Na sequência, o sócio-diretor da Buildings falou sobre o Buildings Mobile, o aplicativo da empresa para o acesso às informações da base de dados via dispositivos mobile. Ele destacou que a ferramenta pode ser acessada por todos os clientes, com a utilização do mesmo login do CRE Tool, mas que também existe a possibilidade do acesso gratuito para quem não é cliente, ainda que com funcionalidades limitadas. Além disso, foi abordado o feedback positivo dos usuários já ativos – dos quais muitos já utilizam a novidade no dia a dia -, bem como o destaque percebido pelo mercado relacionado às atualizações em tempo real, que são sinalizadas por meio de notificações.

Ainda antes de iniciar a apresentação dos dados e das análises, Fernando Didziakas anunciou a mudança da sede da Buildings, em janeiro de 2020, para o HD Corporate, resultado da demanda por mais espaço. Para finalizar a apresentação das novidades, o diretor da Buildings, Fernando Libardi, abordou o projeto Buildings LATAM, que está sendo comandado in loco por ele, inicialmente em Santiago, no Chile, que já conta com 622 edifícios cadastrados. Com a novidade, a Buildins soma a presença em 17 cidades brasileiras com uma cidade na América Latina. Além de falar sobre como foi e está sendo o processo da expansão – contando com as diferenças de mercado, de ficha técnica, de idioma, entre outras -, Libardi falou sobre a recente crise no país, bem como sobre a baixa influência no desenrolar do trabalho da empresa. Para finalizar a sua participação, ele abordou as projeções de expansão para outras cidades nos países vizinhos, tais como Lima, no Perú, Bogotá, na Colômbia, e Buenos Aires, na Argentina.

Mercado

A apresentação dos dados a das análises começou com o mercado Industrial. Para isso, Didziakas mostrou a sequência na queda das taxas de vacância, que estão em 18,9% para todo o Brasil e 18,7% para o Estado de São Paulo, que concentra a maior parte do estoque do país. Ou seja, já temos números abaixo dos 20%, algo que não acontecia desde 2013. Depois de abordar esses e outros dados, o sócio-diretor da Buildings falou sobre como a queda no novo estoque ajudou nesse equilíbrio de mercado e fez uma análise mais específica e fina sobre a ocupação de condomínios logísticos

Sobre o setor de escritórios, foi apresentada uma análise macro, que abordou o último ciclo de 10 anos e a consequente maturação do mercado, que hoje é bem mais analítico e embasado, também por causa da internet e de serviços como o prestado pela Buildings. Com isso, a perspectiva para o próximo ciclo de 10 anos e a de que o mercado deve “sofrer” menos em relação ao ciclo anterior, conforme apontou Didziakas.

Especificamente sobre as atualizações, os dados expostos mostraram boas notícias sobre o mercado do Rio de Janeiro, sobretudo pela continuidade na queda da taxa de vacância. Além disso, a pesquisa revelou absorção líquida positiva e que aponta para a sequência da retomada. Depois dessa parte, foi apresentada uma análise sobre as regiões da cidade e sobre os edifícios classe A, bem como uma análise diferenciada e fina dos ativos que estão 100% ocupados e dos que estão 100% vagos.

Por fim, foi bordado o mercado da capital paulista. Além da apresentação dos números, Fernando falou sobe a dificuldade que as empresas podem ter para encontrar as locações que precisam. Essa análise foi feita com base em divisões por região e por tamanho espaço disponível. Com essa perspectiva de escassez de espaços, foram mencionados alguns retrofits que já foram ou serão entregues, que podem ajudar na disponibilidade de espaços. Além disso, o sócio-diretor da Buildings apontou alguns empreendimentos que podem ser foco desse tipo de intervenção, para retomarem as posições no mercado.

Os demais detalhes sobre essas análises, você confere também nesta mesma edição, em matérias que abordam, separadamente, o mercado de escritórios e o de condomínios de galpões logísticos.

“Conheço a Buildings desde o início, sempre fui um apoiador, e os eventos têm sida vez melhores e maiores, além de proporcionar networking fantástico. Sempre encontramos diversos amigos e colegas de profissão e conferimos informações cada vez mais precisas. Isso traz novas reflexões. Nesta edição, por exemplo, vimos uma sugestão de como fazer um raciocínio de novos negócios e de desenvolvimento. Em relação à expansão para outros países, fico orgulhoso de ter uma empresa brasileira, que vi nascer, expandindo para fora do país. Recentemente, tive a oportunidade de fazer uma expansão para a América Latina e sempre faltava um sistema como o da Buildings. É fantástica essa notícia e espero que além da América Latina a Buildings vá para outros continentes.”

Marcel Camargo – Excelia Real Estate

 

“Sou da área de pesquisa e eu e o meu time gostamos muito dos eventos da Buildings. As apresentações sempre mostram os dados de forma muito prática, mas com profundidade. Desta vez, por exemplo, vimos uma análise sobre os a escassez de áreas em edifícios em regiões prime de São Paulo. Vemos que o mercado está em uma fase de convergência, com taxas de vacância de 14% a 10% e isso é que vamos acompanhar nos próximos anos, com a falta de novo estoque. É muito bom participar, para nos atualizarmos e para encontrarmos pessoas importantes do mercado. Sobre as expansões, isso tudo vai nos ajudar demais. Temos escritórios nos lugares para os quais e Buildings está expandindo e temos um time de pesquisa que sofre muito com a falta de dados, e a Buildings chega para suprir isso, fechar o leque com os dados que estão faltando. É uma empresa que consegue garimpar muitos dados e estar sempre em contato com os proprietários. Isso vai nos ajudar nos nosso relatórios.”

Jadson Andrade – Cushman & Wakefield

 

“Frequento os eventos há alguns anos, é raro eu não conseguir participar. As leituras que são feitas do mercado são sempre muito profundas e intensas e nos ajudam bastante a enxergar os movimentos e as tendências. Recentemente, escrevi – juntamente com duas professoras inglesas – um livro sobre Real Estate na América Latina, e tivemos uma dificuldade enorme para encontrar dados, principalmente dados de qualidade. As informações eram desencontradas. Além disso, cada país tem uma leitura própria, indicadores próprios, o que dificultou a comparação. Então, acho que termos a Buildigns trabalhando, olhando sob a mesma ótica os diferentes mercados, é fundamental.”

Eliane Monetti – Núcleo de Real Estate da Poli-USP

 

“Primeramente, é sempre um grande prazer receber a Buildings e o evento em um imóvel nosso. A apresentação foi brilhante. Essas informações de grade data e as ferramentas para acessar elas é algo que não tínhamos anos atrás, valorizo muito isso. Utilizamos bastante as ferramentas da Buildings, incluindo o aplicativo. A cada compra, locação ou investimento, consultamos os dados para nos embasar a para negociar.”

Nessim Sarfati – Barzel Poperties

 

“Participei de todos os eventos da Buildings até agora, e fica cada vez melhor. Tivemos muitos players importantes e observei, até mesmo, novos participantes, que ficaram encantados. O Fernando Didziakas sempre é muito didático para nos trazer os dados. É um prazer patrocinar e participar do evento. Sobre o Buildigns Mobile, é revolucionário. Fiz questão de votar na Buildings como empresa de tecnologia no GRI, porque realmente é algo muito inovador e que marcou o mercado. Além disso, a Buildings está de parabéns por desbravar novos mercados.”

Alan Roger – RealtyCorp

 

Primeiramente, parabenizo pelo evento. A Buildings tem sido, cada vez mais, um provedor de serviços e informações para o mercado, para termos um setor cada vez mais transparente. Mais uma vez, tivemos uma bela apresentação, com reflexões diferentes das que costumamos conhecer. Já utilizo o Buildings Mobile e ele tem me ajudado muito, principalmente nas visitas em campo. Tem ajudado muito na prospecção e no nosso trabalho de ajudar o nosso cliente a encontrar um espaço.”

Ricardo Hirata – JLL

 

“É muito importante, hoje e dia, temos esse nível de informação no nosso mercado para que possamos dimensionar o nosso trabalho, saber o tamanho do mercado, entender quais abordagem utilizar e quais são os produtos demandados. O que a Buildings disponibiliza no evento é findamental, porque possibilita contato e networking. Em relação ao aplicativo, estamos utilizando bastante. É bastante útil e dá respostas em tempo real, e isso é relevante para a nossa equipe, porque conseguimos ir até o cliente quando ele precisa dos nossos serviços.”

Eduardo Senra – Sempre Engenharia

 

“Mais uma vez, a Buildings está de parabéns. Participei praticamente de todos os eventos e cada vez que participo percebo a evolução. A quantidade de dados que a empresa conseguiu aglutinar mostra que a ambição inicial se consolidou e se mostrou real. A inteligência que é colocada nos dados coletados enriquece o debate no mercado. Gostei bastante de conferir a expansão para Belo Horizonte. Achei fantástico. Sabemos que quem opera nos mercados de São Paulo e Rio de Janeiro sabe como é difícil coletar dados fora desses eixos. Belo Horizonte é um eixo óbvio, mas que nunca teve tanto cuidado. É legal vermos que a Buildigns está expandindo e colocando a inteligência e a metodologia desenvolvida em São Paulo e no Rio de Janeiro também em Belo Horizonte, que é um mercado importante. Isso mostra que as outras cidades também vão se profissionalizar mais.”

Daniel Batistela – Cushman & Wakefield

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − 7 =